Como as empresas podem gerar a própria energia elétrica?

Publicado no dia 25 de Setembro de 2021 ás 10:16

Gerar a própria energia elétrica pode ser uma ótima alternativa para empresas que, independentemente do porte, precisam reduzir custos fixos, como o alto valor da conta de luz.

Afinal, os aumentos na tarifa de energia elétrica intensificam a preocupação com a gestão financeira do negócio.

A partir disso, é comum que a organização adote cuidados extras com o uso da eletricidade, mas a economia de energia em uma empresa pode ser mais complexa. Várias delas são dependentes do fornecimento de energia elétrica e, embora possam adotar medidas paliativas, sempre vão requerer um alto consumo para a confecção de seus produtos, por exemplo.

Por isso, acompanhe o texto abaixo e descubra como as empresas podem gerar a própria eletricidade e economizar na fatura de energia.

Necessidade de novas alternativas para produção de energia

A principal fonte de eletricidade do Brasil ainda é a hidráulica. As usinas hidrelétricas fornecem cerca de 90% da eletricidade em todo o território brasileiro.

Apesar de ser uma energia limpa, essa tecnologia pode prejudicar e alterar o ecossistema do seu entorno. O processo de instalação das usinas hidrelétricas costumam prejudicar espécies nativas e comunidades ribeirinhas. Por fim, esse sistema não permite que os consumidores possam gerar a própria energia elétrica.

No entanto, com o avanço das novas tecnologias e a necessidade de diversificação da matriz energética nacional, alternativas como biogás, biomassa, energia eólica e solar ganham cada vez mais espaço no mercado.

Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE) de 2019 para 2020 houve o maior crescimento na produção de energias renováveis em mais de 20 anos com um salto de 45%.

Mas dentre todas, a energia solar é a que merece maior destaque quando falamos que empresas podem produzir a própria energia elétrica. Em agosto de 2021, o Brasil ultrapassou a marca de 10 GW na geração de energia solar e passou a fazer parte dos 15 países com maior capacidade desse tipo de geração instalada. A energia solar é bastante indicada pela facilidade de instalação e utilização.

Aproveite e baixe agora o PDF: Energia solar para negócios: oportunidades e vantagens e saiba mais sobre essa tecnologia.

Vale a pena gerar a própria energia elétrica?

Os números sobre o mercado de energia solar no Brasil confirmam a tendência de crescimento. Em 2021, o país entrou para a lista dos 10 que mais instalaram sistemas de energia solar em 2020.

Esse avanço se deve a alguns fatores, um deles é a facilidade na aquisição dos sistemas, que além de terem ficado mais em conta, podem ser financiados facilmente. A recompensa logo é percebida, já que a economia gerada por um sistema fotovoltaico pode chegar a até 95%.

Isso porque a partir do momento que a empresa tem um kit de energia solar on grid instalado, ela já começa a produzir a própria energia. Como o sistema é conectado à distribuidora de energia local, toda vez que ele produzir mais energia que a empresa precisar consumir, a empresa ficará com créditos de energia, que poderão ser usados em até 60 meses.

Não à toa, esse tipo de investimento tem se mostrado muito vantajoso, seja do ponto de vista financeiro ou ambiental.

Gerar a própria energia elétrica também contribui para a preservação do meio ambiente sem a emissão de gases poluentes na atmosfera e impacto reduzido no local de instalação. Essa preocupação com a sustentabilidade é ponto de atenção para as empresas que já produzem relatórios específicos sobre o tema e que desejam cumprir a agenda ESG (environmental, social and governance).

Energia solar para negócios

A energia solar, também conhecida como energia fotovoltaica, capta a luz do sol e a transforma em energia elétrica através de painéis solares que, geralmente, são instalados nos telhados das empresas.

O clima é um dos fatores que aumenta o potencial para um bom desempenho dos painéis solares. Por ser um país tropical, o Brasil possui altos índices de irradiação solar, superior aos países líderes em produção de energia fotovoltaica como Alemanha e Estados Unidos.

Além de ser considerada uma energia limpa, os investimentos são muito atrativos para diferentes tipos de negócio:

  • Hotéis e pousadas;
  • Postos de gasolina;
  • Restaurantes, salões de beleza, salas comerciais;
  • Escolas e faculdades;
  • Clínicas e hospitais;
  • Indústrias – que necessitam de muita energia no processo produtivo.

Inclusive, um aspecto importante é que a instalação de um sistema leva em conta o consumo de energia e não o tamanho do negócio ou o número de colaboradores.

Levando em consideração que há cada vez mais novidades de tecnologia para empresas e muitos deles exigem energia elétrica, o consumo de eletricidade tende a crescer a longo prazo. Tudo isso é avaliado na hora do projeto, a fim de que a solução seja capaz de atender a necessidade do cliente no presente e no futuro.

Fonte: https://blog.intelbras.com.br/gerar-a-propria-ener